terça-feira , agosto 3 2021
Home / Notícias / Técnicos discutem modelo profissional de gestão da cidade

Técnicos discutem modelo profissional de gestão da cidade

Seminário CIDADES: o desafio do novo milênio marca nova era nas relações de trabalho dos municipários

 

Seminário CIDADES: o desafio do novo milênio marca nova era nas relações de trabalho dos municipários Engana-se quem pensa que os municipários estão interessados apenas em discutir questões salariais. Novas tecnologias, qualidade e produtividade, desenvolvimento sustentável e gestão de recursos humanos foram os temas das conferências ministradas por profissionais reconhecidos nos mercados nacional e internacional. Um dos destaques foi Enrique Peñalosa, que apresentou Construindo Cidades Mais Sustentáveis no Social e no Ambiental. O prefeito de Bogotá no período 1998 a 2001, que também participou da mesa redonda Cidade Real X Cidade Desejada, trouxe informações sobre o Projeto Transmilênio, que transformou completamente a capital colombiana, melhorando indicadores de qualidade de vida e reduzindo o contraste social nos espaços públicos, a partir de investimentos provenientes exclusivamente da arrecadação em impostos. Cotado como forte candidato a presidente nas próximas eleições colombianas, Peñalosa ressalta que entre as grandes preocupações dos gestores públicos devem estar a gestão compartilhada e, principalmente, a clareza sobre QUE CIDADE QUEREMOS. Segundo ele, priorizar o asfaltamento de vias não é a melhor forma de desenvolver uma cidade e trazer felicidade para seus cidadãos. Ao contrário, como fez no Projeto Transmilênio, propõe que todas as estradas, por mais extensas que sejam, priorizem o espaço para o trânsito humano, com ciclovias, calçadas e estações para transporte público de superfície, como forma de garantir segurança e dignidade humana. O projeto, inspirado e adaptado do modelo desenvolvido por Jaime Lerner em Curitiba, conta, ainda, com a retirada de 40% dos carros das ruas todos os dias, em horário de pico. O professor da Ufrgs e de universidades francesas, o filósofo político Denis Rosenfield fez a conferência de abertura – A cidade na era do silício: do boy ao mouse –, destacando as mudanças de postura diante do ingresso das novas tecnologias no cotidiano dos profissionais. João Polanczyk, assessor especial do governo do estado e coordenador do programa de qualidade do governo do estado do RS, falou sobre O gerenciamento e a qualidade no serviço público, enquanto Mara D. Biasi, superintendente do IBAM – Instituto Brasileiro de Administração Municipal trouxe atualização sobre a organização e supervisão de programas de desenvolvimento e treinamento para servidores públicos do Brasil e do exterior. Nas mesas redondas foram debatidos diversos temas. A administração pública focada no produto, abordou questões como “serviços públicos: espaços de excelência ou de carreira política?”, “as novas tecnologias podem auxiliar na busca da qualidade?” e “ o que é custo e o que é investimento na gestão dos serviços públicos?”. Participaram dessa mesa sobre Custo e sustentabilidade do serviço público o consultor em previdência José Cecchin, o coordenador do PGQP – Programa Gaúcho de qualidade e Produtividade – Luiz Ildebrando Pierry, e o diretor do SIMERS – Sindicato Médico do RS – Fábio Gatti, sob a coordenação do diretor-presidente do SENGE –Sindicato dos Engenheiros do RS, Joel Fischmann. Já na mesa sobre responsabilidade e ética na administração pública, foram tratadas questões acerca da gestão pública à luz do estado de direito, com a mediação do presidente da Famurs, Heitor Álvaro Petry. Os palestrantes convidados foram o desembargador do Tribunal de Justiça José Aquino Flores de Camargo, o diretor geral da delegação das prefeituras municipais – DPM – Oscar Breno Stanke, e o coordenador do gabinete de gestão e responsabilidade social do Ministério Público Carlos Otaviano Brenner de Moraes. Nesse momento foram discutidas “a lei de responsabilidade fiscal e responsabilidade do administrador público” e “o poder de gasto como fator limitador de investimentos”. O presidente do IAB – Instituto dos Arquitetos do Brasil- José Albano Volkmer coordenou a mesa redonda sobre a cidade geradora de oport

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *