quarta-feira , agosto 4 2021
Home / Notícias / Plano de carreira do DMAE

Plano de carreira do DMAE

ASTEC assiste apresentação

 

O DMAE apresentou seu novo Plano de Carreira à ASTEC. Em sua exposição inicial, o Diretor Geral (DG), Eng.Flávio Presser, explicou que as defasagens da atual estrutura foram diagnosticadas pelo Banco Mundial, durante processo para concessão de financiamento às obras da 3ª Perimetral. Destacou que o estudo de consultoria inicialmente implementado foi inválido e que o atual plano é produto de redesenho produzido por um grupo de trabalho formado por servidores do quadro, com aporte de consultoria da Fundação Getúlio Vargas. A orientação é de um profissional que foi, por 15 anos, diretor de Recursos Humanos da Petrobrás, “portanto, diz Presser, com inquestionável conhecimento nas áreas de RH e carreiras, no setor público, o que afasta o risco das tentativas de adaptação vindas da iniciativa privada, que vive outra realidade.” Segundo o DG, primeira dificuldade para implantação do novo plano é a troca de uma carreira curta, onde os salários avançam de acordo com o tempo de trabalho, por uma carreira programada, em que os avanços salariais dependem de desenvolvimento permanente. E o segundo entrave está na média etária do corpo funcional do Departamento, que é de 47 anos, sendo que, em alguns setores, atinge 53 anos de idade. Mas, trabalhando no entendimento de que a discussão é de conceito de administração pública, defende que para se manter como público, o DMAE precisa garantir eficiência na prestação do serviço, com tarifas compatíveis. E mais, o Departamento “precisa ser capaz de ampliar seu espaço de atuação e estar sintonizado com o estado e o país”, referindo-se ao exemplo da Sabesp – Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo, que já atua também em outras cidades do Brasil prestando serviços de saneamento básico. O Diretor de Recursos Humanos, Psic. Luciano Hoffling Dutra, apresentou os detalhes do novo plano. Em linhas gerais, hoje são 570 divisões na estrutura, com 57 cargos que apresentam descrição restritiva de funções, além de 120 cargos em comissão (CC), sendo 80 “mistos” e 40 “puros”. O CC misto é aquele que ingressa no serviço público como servidor de nível médio e, ao longo da carreira, passa a exercer funções de nível superior, recebendo, para isso, o CC que, muitas vezes, chega a representar o dobro do vencimento do servidor. O projeto prevê a estrutura com quatro ou cinco níveis hierárquicos, melhorando a comunicação e o fluxo dos processos, além de ampliar as carreiras com cargos multifuncionais, agregando mais competências, porém, respeitando as atividades profissionais e regulamentadas em Lei, tais como os cargos de nível superior. A evolução do servidor passaria a ser de promoções (vertical) e progressões (horizontal), através de um sistema de avaliação de desempenho que seria objetivo, vinculado a um plano de desenvolvimento individual. O sistema de remuneração teria uma parte fixa e outra variável, avançando através de gratificação de desempenho institucional e individual. A reunião foi no auditório do Departamento, na rua Gastão Rhodes, na quarta-feira, 19/8. A ASTEC esteve representada por sua Pres. Adm. Margareta Baumgarten, Vice-Pres. Eng. Sérgio Brum e Diretores Executivos Eng. Omar Silveira Neto, Eng. Dante Michele e o Cont. Ari Krasner . O Presidente do CRA-RS, Adm. Rui Baratz, e representantes do SENGE, Pres. Eng. José Luiz Azambuja e Diretor Administrativo Eng. Jorge Luiz Gomes também participaram do encontro. ASSOCIATIVISMO FORTE SE FAZ COM COERÊNCIA E UNIDADE! ASTEC – Diretoria 2009-2010

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *