segunda-feira , janeiro 18 2021
Home / Notícias / Astec em dissídio com o conjunto dos municipários

Astec em dissídio com o conjunto dos municipários

A Astec participou da Assembleia Geral de Municipários, na tarde da quarta-feira, 08/04. A categoria definiu a Pauta Unificada de Reivindicações 2015 e a base de um calendário de mobilizações. Construção conjunta de projeto de lei para solução do efeito cascata é o item prioritário. Itens encaminhados pela Astec foram aprovados em bloco.

 

A Astec participou da Assembleia Geral de Municipários, na tarde da quarta-feira, 08/04, o Centro de Eventos do Parque Harmonia. A categoria definiu a Pauta Unificada de Reivindicações 2015, que apresenta como item prioritário a construção conjunta de projeto de lei (PL) para a solução do efeito cascata.

O diretor de Relações Sindicais da Astec, Adroaldo Bauer Corrêa, falou pela entidade e pela Asscompoa, lembrando a importância da insistência na busca pela construção conjunta de um projeto de lei que solucione o efeito cascata, sem perdas, nem sobre o passado nem no futuro, bem como da garantia de participação dos servidores nas discussões paa a elaboração do Plano de Carreira. A resposição integral da inflação do período e das perdas salariais, e o tratamento isonômico dos funcionários da Prefeitura também foram ressaltados por Corrêa, entre outros itens.

A Pauta Unificada de Reivindicações – 2015, aprovada pelos municipários contempla as áreas econômico-salarial de assistência à saúde, defesa do serviço público e melhoria das condições de trabalho, além de políticas de valorização dos servidores e do efeito cascata. Na área econômico-salarial, destacam-se as reivindicações de reajuste de 9,44% para reposição das perdas, mais o IPCA integral do período e ganho real, totalizando 20%, além da correção do vale-alimentação para R$ 23,00, extensivo aos aposentados.

Confira a íntegra da Pauta de Reivindicações Astec – 2015.

Confira a íntegra da Pauta Unficada de Revindicações – 2015.

 

Confira o CALENDÁRIO DE MOBILIZAÇÕES e participe! Traga nossos colegas!

28 de abril – ATO PÚBLICO E CAMINHADA DOS MUNICIPÁRIOS
9h – Concentração, no Paço Municipal.

07 de maio – ASSEMBLEIA GERAL DOS MUNICIPÁRIOS
14h – no Centro Centro de Eventos do Parque Harmonia.

 

Acompanhe também as notícias do Simpa e participe das mobilizações pelo dissídio!

Conforme relato do diretor do Simpa e associado à Astec, Raul Giacobone, desde a última Assembleia Geral de municipários, sobre o efeito cascata, em 05/03, o Simpa vem buscando cumprir a deliberação dos servidores de negociar com o governo a retirada do PL que propõe solucionar o efeito cascata por meio de abono. Entretanto, até o presente momento, o avanço é mínimo: o vice-prefeito Sebastião Mello disse que o projeto não será encaminhado à votação, mas também não será retirado. Para justificar, Melo diz que isto demonstraria ao Supremo Tribunal Federal (STF) a intenção da Prefeitura de resolver o caso. Na terça-feira, 06/04, houve uma reunião para discussão técnica do efeito cascata, com a participação de três representantes do Simpa e três do governo. Um novo encontro deve ocorrer em uma ou duas semanas, quando os representantes da Procuradoria Geral do Município retornarem de Brasília, onde foram acompanhar a tramitação do processo no STF.

Nos relatos dos membros do Conselho de Representantes (Cores), as secretarias da Educação, da Governança e da Saúde, o DMLU, o DEMHAB e a Fasc foram unânimes em mencionar as dificuldades enfrentadas pelos servidores face às precárias condições de trabalho. E no pronunciamento da Educação foi denunciada a intenção do governo de fechar a EPA – Escola Municipal de Ensino Fundamental Porto Alegre para moradores de rua, uma referência internacional neste campo de atuação.

ASSOCIATIVISMO FORTE SE FAZ COM UNIDADE E AÇÃO.
DIRETORIA EXECUTIVA 2015/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *